Logotipo IF Instituto Federalista
Brasil
Sublata causa, tollitur effectus : Suprimida a causa, cessa o efeito

O Federalista

Preencha o formulário abaixo para receber, gratuitamente, os boletins do Instituto Federalista em seu endereço eletronico:

Nome:

E-mail:

Cód. de Segurança



Contato
Sua Opinião
Declaração de apoio
   

Destaques


Ideologização nas escolas

Análise escrita por Internet, em 18/04/2010.

Amigos do Escola sem Partido,

O processo movido pelo Sistema COC de Ensino contra a jornalista Mírian Macedo e o coordenador do ESP, Miguel Nagib, continua.

A ação -- por meio da qual o COC pretende ser indenizado por danos alegadamente causados à sua imagem pela publicação do artigo Luta sem Classe -- corre perante a 5ª Vara Cível da comarca de Ribeirão Preto-SP, onde fica a sede do COC (Mírian Macedo tem domicílio em São Paulo e Miguel Nagib em Brasília).

Apesar do desgaste causado por essa tentativa covarde e mesquinha de castigar a mãe de uma aluna que ousou criticar o conteúdo das apostilas utilizadas pela escola da filha; e impedir novas críticas pela via da intimidação, a ação pode acabar produzindo, indiretamente, um resultado extremamente positivo para todas as pessoas que exercem a liberdade de expressão por meio da internet.

É que o STF, apreciando recurso interposto pelo coordenador do ESP, decidiu examinar se o entendimento atualmente seguido pelos tribunais brasileiros -- segundo a qual as ações de reparação de danos materiais ou morais alegadamente causados por matéria publicada na internet devem ser ajuizadas no foro do domicílio do suposto ofendido (como prevê o art. 100 do Código de Processo Civil) -- é compatível com o art. 220, § 1º, da Constituição Federal -- segundo o qual "nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social".

O caso é pioneiro. O número do processo no STF é RE 601.220.

Se o Supremo acolher o recurso, o empresário Chaim Zaher -- dono do Sistema COC de Ensino e pessoalmente responsável pela decisão de ajuizar e manter a ação contra Mírian Macedo e Miguel Nagib -- terá contribuído, de maneira inteiramente involuntária, para o fortalecimento da liberdade de expressão em nosso país.

Anexo, artigo do coordenador do ESP, publicado no jornal O Globo (edição de 31.03.2010).

– visite e divulgue o www.escolasempartido.org –

Comentario IF O centralismo produz quase tudo que é inconcebível em um país que lutou tanto pela liberdade e democracia. A busca incessante do poder eterno por grupos humanos fez parte de toda a História, mas nunca antes na historia deste País isso aconteceu com tanta eficiência, avançando aos poucos, como se faz com o corte de fatias de um salame.

A mensagem recebida diretamente do Sr. Miguel Nagib, um idealista que defende incansavelmente a desideologização das escolas, deixa bem claro como o corporativismo que defende o modelo de dominação que se implanta progressivamente no Brasil, ou seja, o aparelhamento partidário, se fortalece até mesmo para passar por cima das leis. Leia a matéria e conclua. Contatos diretamente no site ao final da matéria.

Cumpre deixar registrado que fica mais difícil a ideologização de escolas no Brasil em um modelo descentralizado, sem MEC e assemelhados, mesmo que uma ou outra até possa ser alvo desse tipo de situação. Mas é mais fácil combater situações pontuais do que nacionais.